Neo Punk: transcendência, multiplicidade e liberdade

Neo Punk: transcendência, multiplicidade e liberdade

Menos polarização e mais liberdade. Os rótulos já não bastam. Para que ser feminino ou masculino quando se pode sobrepujar? Para que insistir em uma unidade quando se pode beber de todas as nascentes? Para que tomar partido quando se pode estar/ser todos os lados? Exalando permissão, a estética punk ainda eferve. Em seus contrastes coloridos, em sua aura melancólica e em suas atitudes transgressoras. Seus ciclos de passagem conversam com a necessidade de se violar padrões (que tendem em perdurar!). E, sua perspectiva de extrapolar, abre a esfera criativa e a permite penetrar por todas as portas, janelas e frestas.

cubo-003.jpg

 

Um ode anárquico, sem amarras, com um pé na imprudência e outro na precisão. Neo Punk, o novo editorial do Cubo, (des)foca na conversão de saberes, na confluência de experiências e na conexão libertária - onde múltiplas contribuições não pretendem atingir um resultado comum e alienante, mas um pensar além.

 

No escalpo, a simetria, a técnica e a pigmentação se retroalimentam pelas mãos de Artur Lopes e consomem parâmetros diversos, do agressivo ao simplista. As linhas capilares desaguam nos tecidos selecionados por Alex Hoff como uma extensão de coloração e corte, aproximando-se da sobreposição e da manufatura. De tramas e texturas que emergem, elementos são absorvidos e penetram na pele por meio das pinturas de Aline Matias, para firmar e tonalizar expressões. No remate, da personificação do punk à possibilidade de reinterpretar gêneros, a arte de Trident e a captura de Gabriel Not tornam possíveis as profusões de entendimento do estilo e a fabricação de realidades e ficções.

cubo-002.jpg

 

Fazer por si mesmo é conectar ideias, afeições e inspirações. Subversão, inquietação, disparidade. Da criação de uma tribo urbana, passando pela concepção de um movimento e alcançando o status de ideologia social, o punk ainda vive - como objeto, como sentimento, como verbo.

 

 

 

 

 

Ficha técnica:

Direção: Artur Lopes e Gabriel Not.

Corte: Artur Lopes.

Coloração: Jonathas Diniz.

Fotografia: Gabriel Not

Maquiagem: Aline Matias.

Styling: Alex Hoff.

Arte: Trident

 

Under Art Déco: o processo por trás de um novo corte.

Under Art Déco: o processo por trás de um novo corte.

Nem todo mundo sabe, mas a arte de cortar cabelos tem em seu histórico uma série de inspirações e referências, advindas das mais diversas áreas. A nível mundial, as principais escolas da área difundem técnicas clássicas de cortes que, quando foram criados, receberam uma nomenclatura e, posteriormente, alguns tornaram-se icônicos. A partir destes, os cabeleireiros ampliaram as possibilidades desenvolvendo novos formatos, adaptados conforme o estilo e ideia de cada cliente.

Dentro dessa expansão, Artur Lopes, diretor criativo do Cubo, criou um novo corte, resultado de uma observação diária e do olhar sensível para as mais diversas áreas como a moda, música, artes visuais, arquitetura, movimentos contemporâneos e cinema. O resultado vem de uma série de fundamentos técnicos, mesclados com uma criação personalizada e individual.

Rafeamento do corte Under Art Déco.

O corte, criação exclusiva do Cubo e nomeado Under Art Déco, possui duas grandes influências. A primeira delas é o movimento artístico Art Déco, nascido nos anos 30 e que teve grande atuação, principalmente, na arquitetura. Nos cabelos ele se manifesta através de linhas mais definidas e formatos geométricos. Já a segunda grande influência foi o icônico corte dos anos 80 chamado Under Cut, tecnicamente difundido por Anthony Mascolo, com inspiração no movimento punk.  

Do ponto de vista do diretor criativo do Cubo, a profissão de cabeleireiro cresce cada vez mais no país e "evolui a partir do momento em que dominamos as técnicas e as aplicamos corretamente, nos tornando mais experientes em interpretar e executar ideias, identificando códigos e mensagens que nossos clientes querem comunicar".

Como marca, o Cubo possui em seu DNA uma característica única, que alinha o trabalho criativo feito diariamente e o conhecimento adquirido com a cultura e o trabalho realizado por equipes de escolas mundiais, principalmente Toni&Guy. O resultado disso são criações exclusivas feitas a partir de uma série de referências e conhecimento técnico.

Cubo Gallery reinaugura com exposição de André Venzon.

Nesta sexta-feira o Cubo reinaugura sua galeria de arte com a exposição "Tudo no seu horizonte" de André Venzon, que reuniu uma nova coleção de peças figurativas, entre brinquedos e porcelanas antigas, em que dispõe seu icônico cubo de tapume rosa sobre as cabeças destes objetos. O artista realizará ainda uma intervenção poética sobre as vidraças do salão que descortinam o horizonte da paisagem do 4º Distrito de Porto Alegre, lugar da sua pesquisa visual de mestrado. 

14646607_1264516936932920_1229110028_o (1).jpg

 

O projeto Cubo Gallery dá continuidade ao conceito artístico da marca Cubo, dessacralizando a arte e trazendo para dentro do salão trabalhos artísticos que estabeleçam uma relação entre a arte de cortar cabelo e as artes visuais.

Cubo assina beleza do desfile de Ronaldo Fraga para Pompéia

Na última semana, aconteceu o Pompéia Fashion Weekend, que teve como destaque o  lançamento da coleção em parceria com o estilista Ronaldo Fraga - e o Cubo teve a honra de fazer a beleza do desfile. 

Os profissionais Jonathas Diniz e Bárbara Degrandi foram os reponsáveis pelo cabelo e maquiagem, respectivamente. Jonathas buscou a inspiração para este trabalho no lado lúdico/infantil de Fraga, que resultou em coques altos e formas bem definidas. No make, Bárbara apostou em peles frescas e iluminadas, com lábios em tons neutros, escolha do estilista para as modelos. Elegância e leveza na face contrastaram com a força do design nos acessórios e nas peças criadas por Ronaldo Fraga.

Cubo+Också na Casa de Criadores SP

Cubo+Också na Casa de Criadores SP

A parceria Cubo + Också vem rendendo bons frutos. Os estilsitas à frente da marca Igor Bastos e Deisi Witz convidaram os profissionais do Cubo para ficarem responsáveis pela beleza do desfile que a marca realizou na Casa de Criadores. O evento que apresenta novos talentos e marcas independentes apresenta novidades e lança tendências para o país inteiro. 

Atualmente, a grife gaúcha conta com um corner no salão com sua coleção à venda. 

Cubo Bangs no Meca Festival

A parceria Meca + Cubo já tem longa data, desde as primeiras edições do evento. Neste ano, quando o festival aconteceu pela primeira vez em Porto Alegre, não podia ser diferente. A equipe Cubo estava lá fazendo penteados com franjas e, para as corajosas, cortando franjas!

cubo-bangs-meca-festival.jpg

Artur Lopes na Revista Cabelos&Cia.

Artur Lopes na Revista Cabelos&Cia.

O diretor criativo do Cubo, Artur Lopes, falou para a Cabelos&Cia sobre suas principais inspirações, que vão além da beleza, passando pelas artes e arquitetura. Confira abaixo. 

O Cubo lhe acompanha no litoral

O Cubo lhe acompanha no litoral

Os finais de semana no litoral norte gaúcho vão ficar mais bonitos! O Cubo, salão de beleza de Porto Alegre, se prepara para passar uma temporada no Las Ramblas, em Atlântida, complexo que reúne gastronomia, entretenimento e lazer - como os já conhecidos bar 1, bar 2 e pista 3. Com inauguração no próximo sábado, dia 19, as 19h30, o Cubo vai atender de sexta à domingo, entre 12h e 22h, realizando trabalhos de cabelo e make.

Além disso, a ideia é receber alguns bazares paralelos, como o da marca gaúcha Ocksa, que já está confirmado.

Horários podem ser agendados através de contato com o Cubo ou diretamente no local.

Intercâmbio de beleza: Diego Marcon, da Argentina para o Cubo

Intercâmbio de beleza: Diego Marcon, da Argentina para o Cubo

Em dezembro, o Cubo conta com um convidado especial no time de profissionais. Diego Marcon, cabeleireiro e maquiador em Buenos Aires, vem compartilhar sua experiência e realizar atendimentos exclusivos em Porto Alegre. Entre Natal e Ano novo, ele atenderá suas já conhecidas clientes dos tempos em que ainda morava por aqui (ou algumas noivas que veio exclusivamente à cidade para atender), e novas que desejarem conhecer o trabalho. 

Nestes quase dois anos de residência na Argentina, ele trabalhou para os conceituados salões Roho e Portrait Peluquería e, agora, quer pôr em prática em Porto Alegre o que aprendeu de mais diferente por lá. A ideia é estender o projeto e realizar outras futuras idas e vindas.  

Interessados, podem entrar em contato diretamente com o Cubo para mais informações ou agendamentos. 

 

Cubo Gallery recebe Mojubá - A presença dos orixás na Bahia

Cubo Gallery recebe Mojubá - A presença dos orixás na Bahia

O salão de beleza Cubo, de Porto Alegre, abriu espaço para exposições de arte este ano. Em novembro, o projeto Cubo Gallery recebe, a partir do dia 24, a exposição fotográfica MOJUBÁ – A PRESENÇA DOS ORIXÁS NA BAHIA, de Liege Ferreira.

Sobre a exposição, por Liege:

MOJUBÁ ‐ A PRESENÇA DOS ORIXÁS NA BAHIA

“No começo não havia separação entre o Orum, o Céu dos orixás, e o Aiê, a Terra dos humanos. Homens e divindades iam e vinham, coabitando e dividindo vidas e aventuras. Conta‐se que, quando o Orum fazia limite com o Aiê, um ser humano tocou o Orum com as mãos sujas. O céu imaculado do Orixá fora desonrado. O branco imaculado de Obatalá se perdera. Oxalá foi reclamar a Olorum. Olorum, Senhor do Céu, Deus Supremo, irado com a sujeira e com a displicência dos mortais, soprou enfurecido seu sopro divino e separou para sempre o Céu da Terra. Assim, o Orum separou‐se do mundo dos homens e nenhum homem poderia ir ao Orum e retornar de lá com vida. E os orixás também não podiam vir à Terra. Agora havia o mundo dos homens e o dos orixás, separados. Isolados dos humanos habitantes do Aiê, as divindades entristeceram. Os orixás tinham saudades de suas peripécias entre os humanos e andavam tristes e amuados. Foram queixar‐se com Olódùmarè, que acabou consentindo que os orixás pudessem vez por outra retornar à Terra. Para isso, entretanto, teriam que tomar o corpo material de seus devotos.”

A história do Brasil começou na Bahia. A partir de 1538 começam a aportar os primeiros de muitos navios negreiros vindos da África. Negros de diferentes partes do continente africano chegavam em Salvador para serem escravizados pelos portugueses e pela classe dominante que estava se formando. Foram mais de 300 anos de escravidão. Os negros trouxeram junto com eles seus conhecimentos, sua cultura, seu dialeto, seus cantos e sua religião. Com eles, veio o culto aos orixás. Bom, até aí quase todos nós sabemos, mas mesmo assim, na maioria das vezes parece ser uma cultura tão distante, provavelmente por ter sido uma religião velada e proibida durante tanto tempo.

O candomblé afro‐brasileiro se distingue em três nações, Ketu, Angola e Jeje. O Axé, do Yorùbá Àse, é a energia vital, o poder, a força mágica distribuída a todos os filhos nas festas de candomblé, onde os orixás, considerados deuses, descem à terra para dançar e distribuir o axé. Os orixás recebem oferendas, auxiliam seus filhos e descem à terra através deles. Os médiuns são chamados cavalos de santo. Cada orixá têm individuais personalidades, habilidades e preferências rituais específicas. Cada um tem seus cânticos, chamados orikis, suas cores, roupas, trejeitos, comidas, danças, etc. Cada cerimônia, casa e nação tem suas particularidades.

No candomblé Ketu, as cerimônias iniciam com o Padê, despacho a Exú, mensageiro entre os orixás e os homens. Os atabaques começam a tocar, os cânticos em yorubá são entoados e os orixás começam a dançar. No final das cerimônias um banquete é distribuído a todos os filhos no terreiro. A ancestralidade, a alegria, o respeito e a força imperam nas cerimônias de candomblé. Durante todo o processo de documentar as cerimônias eu pude fazer parte dessa grande família que é o candomblé. Desde o primeiro dia no Terreiro Ilê Axé Rundemin fui recebida com muito carinho por todos. Sempre receptivos, alegres e dispostos a responder minhas dúvidas. Tento trazer nessa exposição um pouco desse universo mágico do candomblé, do ritual, dos orixás e dessa vivência que tive em quase um ano de Bahia. Além das fotografias feitas no terreiro em Salvador, fiz fotos durante as comemorações de Yemanjá, rainha do mar, em uma praia da Bahia chamada Sítio do Conde. Axé!

Serviço:
Exposição MOJUBÁ ‐ A PRESENÇA DOS ORIXÁS NA BAHIA, de Liege Ferreira
Local: Cubo – Av. Cristóvao Colombo, 3000 – 9o andar
Data: a partir de 24/11
Horário de visitação: de seg. a sábado, das 8h às 21h

 

Cubo Academy lançada na Sul Beleza

Foi com show no evento Sul Beleza 2015, que acontece na Fenac em Novo Hamburgo reunindo os principais nomes de beleza, que o Cubo, de Porto Alegre, lançou a nova marca Cubo Academy. O salão, que tem três anos de vida com os experientes Artur Lopes e Jonathas Diniz a frente, agora abre escola para oferecer workshops e formar novos profissionais a partir das técnicas estudadas em tantos anos.

Durante o show, quatro cortes foram feitos ao vivo, pelas mãos dos dois mais os colegas Leo Moreira e Emmanuelle Ribeiro, enquanto explicavam a técnica, desde a forma, até a personalização.

Os cursos iniciam em novembro e a programação até dezembro já está disponível. Os contatos podem ser feitos através da página do CuboAcademy no Facebook ou telefone 30623119. 

Salão recebe a banda inglesa Lowly Hounds

Salão recebe a banda inglesa Lowly Hounds

Formada na Inglaterra, mas com componentes gaúchos, a banda Lowly Hounds vem ao Brasil para uma turnê e, aqui em Porto Alegre, fará uma passagem inusitada pelo Cubo, salão que deu espaço para, além da beleza, incentivar também a arte. Depois do projeto Cubo Gallery, que leva exposições para o dia a dia do salão, agora o espaço recebe também o primeiro pocket show.

Os convidados mais do que especiais, eram clientes da casa quando moravam por aqui e agora voltam para abrir este novo projeto. Edu Bisogno e Reynaldo Muggy Migliavacca, ambos gaúchos, trarão os colegas da terra da rainha, Jake Roos e Nicko Varey, para uma temporada no Brasil. No Cubo, o show acontece dia 21 de outubro, às 18h, para clientes e convidados.

Editorial minimalista, por Raul Krebs para Donna ZH.

Editorial minimalista, por Raul Krebs para Donna ZH.

A beleza no Cubo não é restrita ao serviço oferecido. O ambiente também é um diferencial. O local foi escolhido para ser o cenário de um editorial de moda para o caderno Donna.

Foto por Raul Krebs

Foto por Raul Krebs

Cubo apoia o Street Store e corta cabelos de moradores de rua

Cubo apoia o Street Store e corta cabelos de moradores de rua

O Cubo participou do projeto The Street Store, que rolou em Porto Alegre. É um projeto mundial, que tem como objetivo criar uma espécie  de "loja na rua", mas com roupas para doação, que fica a disposição de moradores de rua. A equipe participou fazendo os cabelos e barbas dos beneficiados, que totalizaram mais de 140 pessoas em um dia. A maioria era formada por homens que querem procurar emprego e precisavam de uma aparência melhor. Emocionante!

Cubo Gallery: entenda o novo projeto da marca

Cubo Gallery: entenda o novo projeto da marca

Para o Cubo, a arte é uma forte inspiração. É por isso que o Cubo lançou esta novidade que mistura beleza e arte, o Cubo Gallery. “O objetivo do projeto é dar continuidade ao conceito artístico da marca Cubo, trazendo para dentro dos salões da marca trabalhos artísticos que estabeleçam entre os clientes do salão e as obras uma relação entre a arte do cabelo e as artes plásticas”, define Artur Lopes, um dos sócios do Cubo.

Mais de 10 artistas já participaram do projeto expondo fotografias, pinturas e outros. Entre eles, Nelson Diniz, Carine Wallauer e Liege Ferreira. 

SPFW realiza evento em Porto Alegre, Cubo Creative Team assina os penteados.

O estilista Ronaldo Fraga esteve Porto Alegre para o evento Moinhos Preview, no qual apresentou a coleção "Quantas noites não durmo", inspirada em Lupicínio Rodrigues.

O evento aconteceu no Sheraton, com modelos como Mariana Weickert no casting. A equipe do Cubo, coordenada por Artur Lopes, assinou os cabelos deste icônico desfile.